Qualidade

As patentes e métodos que representamos correspondem a mais de 300 câmaras montadas em todo o mundo, e está agora disponível no seu mercado para o servir.

O nosso processo patente e QUALIDADE, corresponde à Haloterapia controlada de ultima geração e de moagem dinâmica e in loco.

O sistema que montamos é o único que:
- É reconhecido como modelo biomédico complementar certificado e em conformidade com a directiva Europeia CE93/42EEC
- Usa sal farmacêutico como elemento maioritário presente na haloterapia.
- O ambiente é seco e sem qualquer elementos de água retirando-se assim qualquer possibilidade de humidade relativa prejudicial a alguns tratamentos.

A este nível (haloterapia de geração dinâmica e controlada), existe apenas mais uma patente e ambas são o cálculo mais eficiente de exposição salina activa por m3 de ar.
Como forma de nos destacar neste nível de Haloterapia e o que nos distingue é somar ainda os seguintes procedimentos:
- Moagem contínua de sal in loco e segundos antes de ser administrado ao utente via atmosférica, que concede características ao sal na ionização e actividade extremamente útil. (não se trata apenas de exposição ao sal, mas do sal activo no mesmo)
- Selecção de sal é um composto por dois tipos de sal de mina, que é limpo e é seleccionado manualmente.
- Não usamos pedra de sal “âmbar” (Himalaia) para evitar a criação de microrganismos.
- Não usamos componentes metálicos na construção, de forma a não contaminar a atmosfera à oxidação.
- Contem introdução de artigo, bactericida, funcicida, virucida, esporicida que respeitam as normas europeias:
Eficácia bactericida de EN1276 e EN1040,
Eficácia fungicida EN 1275
Eficácia viruncida AFNOR 72180
Eficácia esporicida e norma NFT72.230

Alguns aspectos a ter em conta.

Em termos de eficácia:

- No nosso ramo de actividade ainda existe o uso do termo “dias de mar” como comparação entre capacidade de sistemas e montagens de haloterapia. Contudo, o método/forma que adquiriu a aprovação por directiva europeia CE93/42EEC, NÃO é descrito como “dias de mar”, mas sim através de um cálculo (restrito e patenteado) de exposição por m3 e ainda devido à possibilidade de regular de ambiente.

- O termo “dias de mar” é oriundo da primeira geração de Haloterapia, que caduca na passagem da 2º para a 3º, e para a última geração, com a certificação e a introdução de forma de activação do sal e sua regulação ao que acrescentamos a moagem dinâmica in loco segundos antes de inalação .

- O termo ainda é usado hoje, para criar mais ênfase perante o efeito estabelecido actual.

Se o efeito pretendido é a reprodução do efeito de gruta, o termo “dias de mar” não faz sentido, pois seria mais adequado se fosse “dias de gruta”. Quando se fala em “dias de mar”, não se fala de Haloterapia como sistema biomédico, mas sim Haloterapia relativa a exposição ao mar o que presume humidade, que não se enquadra na totalidade de sintomas (ou utentes) que é possível com a tecnologia actual. A Haloterapia teve início em grutas através de estudos com mineiros e não no mar com marinheiros.

Em termos estéticos:

Existem dois temas centrais, no que diz respeito a design e estética, o Barroco com uso de pedras de sal ornamental muito apelativo e existe o Nórdico com salas/câmaras de sal brancas, que embora menos apelativas visualmente são extremamente eficientes, com mais uso de sal activo e cuja principal característica de design é o uso de iluminação, que traz a Haloterapia para o design do séc. XXI.

- O aspecto e sistema Nórdico é o que é contemplado e considerado e concordante com a directiva europeia.

- No mundo, as câmaras geridas por um médico são de efeito e design Nórdico.

Exemplo: As duas primeiras câmaras de Londres, são de aspecto Nórdico.

Outro exemplo: as câmaras que chegam a noticiários televisivos são as de efeito e design Nórdico, não pelo design mas pela popularidade e reconhecimento do efeito atingido.

- Além dos microrganismos que têm origem no uso das pedras de sal, a Haloterapia hoje está relacionado com o sal activo presente, não com a quantidade ou com a mera presença de sal.

- Só existem duas patentes da 3ª geração e não são de todo distinguíveis via fotografia, pois ambas usam o design e efeito nórdico.

No entanto, a 1ª e a 2ª geração têm efeitos de haloterapia.

A Saldium oferece a mais recente e última geração de Haloterapia, e é possível iniciar em qualquer num destes patamares e posteriormente migrar para a 3º geração. Situação que será inevitável assim que uma câmara de 2º e outra de 3º geração estejam próximas geograficamente, pois os efeitos entre gerações são notavelmente diferentes para os utentes.

Migrar de geração de sistemas é algo que temos feito nos 36 países em que estamos a implementar a nossa patente, que em Portugal e Espanha assume o nome “SALDIUM”.